O restaurante Ramon (e outras casas)

Restaurante Ramon 3
Restaurante Ramon

O restaurante Ramon, à altura o mais antigo de Vila do Conde em atividade, abriu portas pela última vez no dia 5 de Outubro de 2020. Com reabertura prevista para o dia 28, após um período de férias, a gerência comunicou o seu encerramento definitivo com uma publicação no Facebook.

O galego Ramon Romero Gradin iniciou a sua atividade na restauração como empregado do Restaurante Peninsular, do seu compatriota Narciso Garrido. Narciso Garrido Boulhosa, refugiado da guerra civil espanhola, teve uma vida próspera em Vila do Conde. Foi dono da Pensão Peninsular, na Avenida Campos Henriques nº 43 (Avenida José Régio), com restaurante homónimo no piso térreo, também conhecido por Restaurante Garrido. Ao seu lado tinha então a estação dos correios. Foi também gerente do Palácio Hotel no final dos anos 40.

 


Pensão Peninsular, com um “Carocha” estacionado em frente

Bem perto da pensão onde Ramon trabalhava, existia neste tempo a Casa da Recoveira. Ramon enamorou-se pela filha dos donos e aí fundariam o restaurante Ramon, com a abertura de portas a 1 de Abril de 1956.


Procissão de São João – Casa da Recoveira

Esta casa figura nas fotos e postais mais antigos desta zona da cidade, desde o início do século XX, quando alojava o “estabelecimento de mercearia por junto e a retalho”, de José Teixeira da Silva, um dos fundadores da Associação Comercial de Vila do Conde. A casa térrea imediatamente a sul era a tinturaria do mesmo dono, aumentada na segunda década do século com um 1º piso, onde se instalaram os Armazéns de São João (ou Armazém de São João), de Ilídio d’Oliveira Taipa, a Livraria da Graça, e onde hoje se situa o pronto-a-vestir Duarte.

Publicidade à mercearia e tinturaria de José Teixeira da Silva

Não encontrei qualquer referência coeva à inauguração do restaurante em 1956, nem qualquer publicidade da Casa da Recoveira nos periódicos locais (por esta altura apenas o jornal “Renovação”), mas o facto poderá encontrar explicação no artigo referente à abertura de uma segunda casa de restauração de Ramon Romero, em Junho de 1968. Aí se diz que a abertura da “Esplanada Ramon”, na Praça de São João, e que uniu três dependências do mercado, não teve “espalhafatos inaugurais, nem pomposas propagandas, antes com a modéstia quase tímida do seu proprietário”, o que poderá desvendar o “mistério” da quase ausência de publicidade da casa durante décadas.

Esplanada Ramon - jornal Renovação 27-7-1968
Esplanada Ramon – jornal Renovação 27-7-1968
Calendário de Jogos 1ª divisão 79-80 - Rio Ave
Publicidade num calendário de jogos da 1ª divisão de 1979-80

O fundador do restaurante faleceria em 1981, com apenas 53 anos de idade.

Obituário – Ramon Romero Gradin – Jornal Renovação

Depois de duas renovações nos últimos anos, o Ramon acabou por fechar as portas no pior ano de que há memória para o turismo e restauração.

Antes da última renovação
Antes da penúltima renovação
5 2 votes
Article Rating
COMPARTILHAR
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments